X
X

Em tempos de isolamento social, previna-se contra golpes financeiros

27 de julho de 2020

Durante a pandemia da covid-19, tem aumentado o número de golpes financeiros, o que requer que a população dobre os cuidados. De acordo com a Polícia Civil, os casos de estelionato cresceram cerca de 30% nesse período.

Para efetuar as fraudes, os criminosos se aproveitam da ingenuidade das vítimas, particularmente dos idosos. Eles criam diversas histórias e se utilizam com frequência de dados obtidos no meio virtual, a fim de convencer as vítimas.

Confira, a seguir, os principais golpes que vêm sendo praticados e saiba como se prevenir.

Golpe do falso site

Os bandidos criam falsos sites de venda de mercadoria, por exemplo, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos etc. Usam endereços eletrônicos de empresas famosas, alterando só o final, bem como usam todo o visual de páginas conhecidas, tudo para ludibriar a vítima de que se trata dos sites verdadeiros.

Os criminosos atuam em todas as épocas do ano, particularmente em períodos de grandes promoções, como a Black Friday.

Orientações:
1) Pesquise a reputação da empresa eletrônica em que pretende efetuar a compra.
2) Observe com cuidado todo o endereço eletrônico.
3) Desconfie de objetos que estejam à venda por preço muito abaixo daquele praticado no mercado.
4) Lembre-se do velho ditado: “Quando a esmola é demais, o santo desconfia.”

Golpe do WhatsApp clonado

Os bandidos encontram diversos meios para encontrar o número do celular das vítimas, mas tem-se observado que a maioria delas tinha acabado de publicar anúncio em plataformas de vendas de carros, eletrodomésticos, etc. As vítimas recebem uma mensagem SMS na qual consta um código de 6 dígitos. O criminoso se passa por funcionário do site ou aplicativo de vendas e solicita esse código para ativar o anúncio. Entretanto, o número informado trata-se do código de verificação do WhatsApp, pois o bandido digitou o número do celular da vítima no aplicativo dele.

Sendo assim, o criminoso solicita que a vítima informe o tal código para “habilitar o anúncio”, induzindo-a a fornecer esse dado. O bandido utiliza esse código para desviar o WhatsApp da vítima para o celular dele, fazendo com que ela perca o acesso ao aplicativo.

Em seguida, o bandido entra em contato com os amigos da vítima pelo app, dizendo que está sem dinheiro, com a conta bancária travada ou o cartão de crédito bloqueado, e solicita dinheiro emprestado, se comprometendo a pagar o quanto antes. Os amigos da vítima transferem recursos para a conta bancária do próprio criminoso, que logo saca a quantia ou a remete para outra conta.

Orientações:
1) Nas configurações do WhatsApp, habilite a confirmação em duas etapas, a fim de habilitar a senha de 6 dígitos numéricos.
2) Jamais envie para qualquer pessoa o código de 6 números que chegar por torpedo SMS.
3) Caso já tenha enviado o código e, portanto, caído no golpe, envie e-mail para support@whatsapp.com pedindo a desativação temporária da sua conta.

Golpe do coronavírus

Durante a pandemia, os criminosos têm veiculado mensagens sobre distribuição gratuita de álcool em gel. Quando a vítima clica em “continuar lendo”, ela é direcionada para sites maliciosos que obterão seus dados ou vão bloquear o celular da vítima, oportunidade em que exigirão dinheiro para desbloqueá-lo.

Os bandidos também estão disseminando mensagens com links que redirecionam a vítima para uma espécie de cadastro do Auxílio Cidadão 2020, que é a ajuda que o governo federal. Quando a vítima clica no link, ela é redirecionada para uma ficha cadastral por meio da qual os bandidos terão acesso a todas as informações que a vítima preencher e enviar, pois se trata de um link falso.

Outro golpe que estão aplicando é o envio de mensagem com o link para fazer o teste do coronavírus, o qual exige o nome do titular e o número do cartão, bem como o código de verificação, a validade e o CPF. Após o envio, o bandido terá dados bancários e pessoais da vítima.

Orientações:
É muito importante que as pessoas não cliquem em links que chegam por mensagens de WhatsApp, SMS e e-mail, pois esses vão redirecionar para sites maliciosos que podem obter informações das vítimas, bem como bloquear o celular, dando a chance de os bandidos extorquirem dinheiro da vítima para desbloquear o aparelho ou de obterem dados de cartões bancários e pessoais.

DICAS PARA NÃO SE TORNAR VÍTIMA DE FRAUDES

• Não forneça dados pessoais como nome completo, CPF, RG, endereço, número da conta bancária e senha para estranhos, em ligações telefônicas, mensagens SMS ou WhatsApp.

• Desconfie sempre de ofertas de produtos com preços bem abaixo dos praticados em mercado.

• Não converse com estranhos na rua, tampouco aceite propostas que pareçam ser muito vantajosas.

• A aparência engana! Estelionatários falam bem, estão normalmente bem vestidos e facilmente persuadem as vítimas.

• Não troque fotos nem vídeos íntimos pela internet/rede social.

• Em caso de dúvida, procure sempre alguém de sua confiança e peça ajuda.

• Se você sabe de alguém que pode estar praticando algum desses golpes, procure a Polícia Civil pelo telefone 197. Em tempos de pandemia, você pode registrar a ocorrência pelo site da Polícia Civil do seu estado.

Fontes: Cartilha Golpe? Tô Fora! e www.g1.com.br (com adaptações)

library_books

Em caso de dúvidas, acesse o
Formulário de Atendimento


ring_volume

Teleatendimento aos Surdos
0800 646 4747

chat_bubble_outline

Centro de Relacionamento com o Cliente
0800 61 3040


call

Ouvidoria
0800 647 8877

Fundação Habitacional do Exército (FHE) Exército Brasileiro