Para melhor experiência de navegação, este site salva seu histórico de uso. Ao continuar navegando, você concorda com a política de cookies e privacidade.

Para que servem as garantias no consórcio?

23 de maio de 2022

Num consórcio, pessoas se juntam para formar uma “poupança” coletiva que será usada pelos participantes na concretização de sonhos, como a casa própria ou o carro novo.  

Para que isso funcione, todos precisam cumprir com suas obrigações. Quando alguém não paga suas parcelas, interfere no saldo total e na capacidade de atender os outros consorciados.  

É por isso que existem as garantias

“Elas servem para cobrir o pagamento do saldo devedor caso o contemplado que adquiriu o bem se torne inadimplente”, explica a Gerente Executiva de Consórcios da FHE POUPEX, Josilma Rodrigues.  

Para que servem as garantias no consórcio

A garantia é cobrada no momento da utilização dos recursos da carta de crédito e, geralmente, é o próprio bem adquirido por meio do consórcio. Ele fica alienado à administradora até a quitação do saldo devedor. 

Se for preciso, a administradora pode vender aquele bem e usar os recursos para ressarcir o grupo. “É uma forma de preservar o direito de todos à contemplação”, ressalta Josilma. 

Lei prevê a solicitação de garantias 

A solicitação de garantias está prevista na Lei nº 11.795/2008, que dispõe sobre o sistema de consórcios no Brasil, mas é fundamental que esteja prevista no contrato. 

A administradora também pode exigir garantias complementares ou até mesmo um fiador. Tudo depende do saldo devedor e do risco que uma possível inadimplência pode causar no grupo. 

NA FHE POUPEX, quais são as garantias exigidas? 

Cada segmento do Consórcio da FHE POUPEX utiliza uma forma de garantia: 

Bens móveis (automóveis e motos): fica alienado o próprio veículo da operação ou, em caso de impossibilidade, é aceito outro bem de valor similar, desde que em nome do consorciado e sem restrições. 

Bens imóveis: o instrumento jurídico utilizado é a alienação fiduciária (Lei nº 9.514/97) do imóvel que está sendo adquirido. Esse mesmo instrumento é usado no crédito imobiliário. 

Grupos de serviços: não existe a figura da garantia de bem. 


A administradora de consórcios é, portanto, a responsável pela saúde financeira do grupo. Quer saber mais sobre essa modalidade? Clique no botão abaixo! 


Leia também: 
Entenda como funciona o lance no consórcio 
Saiba a diferença entre reajuste e rentabilidade do crédito

Últimas notícias

Loading...